Pyre PS4 e PC

Jogo mais video-games do que deveria e menos do que gostaria.

Compartilhe se você curtiu!

Jogos independentes já são uma categoria à parte de video-game. A discussão a respeito do que é ou não indie, seja o número de pessoas por trás ou se houve ou não envolvimento de uma publisher, por menor que seja, é irrelevante na minha opinião.

Aqui, serão considerados todos os jogos que estão sendo desenvolvidos por equipes enxutas, orçamento limitado seja para desenvolvimento ou para marketing – e principalmente não se preocupam em apelar para uma audiência geral, como a maioria dos AAA’s fazem. Ah, e não é uma lista em ordem de importância ou nada parecido.

Então, sem mais lero lero, veja a lista de jogos independentes que vão sair em 2017 e você deve prestar atenção:

1.Pyre

Dos criadores do genial Bastion, e do muito bom (mas que divide opiniões) Transistor, Pyre é um jogo de RPG tático com mecânicas de combate diferentes e inovadoras, que mais lembram um Rocket League ou DOTA do que os jogos anteriores do estúdio.

Sobre o que é Pyre

Você controla um protagonista que se junta a mais 3 personagens para explorar uma terra bem “high fantasy” que representa o purgatório desse universo. A motivação é aparentemente derrotar outros exilados para purificar sua alma e de seus companheiros e alcançar a paz. Vocês navegam durante o dia, e à noite o jogador deve decidir sobre ações como procurar por suprimentos, se aprofundar na história do jogo entre outras.

Como é o gameplay de Pyre

Com uma visão top-down já tradicional dos jogos do estúdio, o jogo é bem focado em replayability e com foco nas batalhas, ou ritos, como são chamados no jogo. Estas acontecem em um campo dividido em 2, com uma pira de cada lado que representa cada equipe. Há uma esfera que deve ser carregada até a pira inimiga, que enfraquece a chama toda vez que chega até lá. Sim, uma espécie de “gol”. Cada pira tem um valor de pontos de vida que deve ser trazido até 0, representando quantas vezes você deve levar a esfera até lá.

pyre-gameplay

Seus personagens tem habilidades e magias para tentar ganhar controle do campo, bem no estilo de um MOBA, com um ritmo mais acelerado e com mecânicas de esporte no meio (lembram que falei de Rocket League e Dota no começo?)

Analisando o histórico da Supergiant, e o material que foi liberado até agora, como essa demo da PAX do ano passado, além do genial Darren Korb (só o tema do trailer de anúncio já arrepia) por trás mais uma vez da trilha sonora e Jen Zee encarregada da arte, é difícil manter as expectativas baixas.

Ficha Técnica:

    • Desenvolvedor: Supergiant Games (Publisher: WB Games)
    • Data de lançamento de Pyre: Algum dia de 2017.
    • Pyre será lançado para PC e PS4.
    • Site oficial

2.Knights and Bikes

A primeira vez que vi algo sobre esse jogo foi no canal da Double Fine – inclusive fiquei espantado que esse jogo não era filho deles, mas eles não deixaram de ser padrinhos e decidiram publicar o jogo, que foi bem sucedido em sua campanha de Kickstarter.

Um jogo com temática infantil, com uma personalidade bem forte já é o suficiente para chamar minha atenção, mas quando fui investigar a respeito fiquei ainda mais animado.

Sobre o que é Knights and Bikes

O jogo se passa na ilha fictícia de Penfurzy, na Inglaterra da década de 80, que tinha como principal atração turística seu histórico e lendas medievais, que aparentemente não são verdadeiras. Com o turismo em baixa, a ilha está com graves problemas financeiros e enfrenta a (literal) ruína.

mapa knights and bikes

Como é o gameplay de Knights and Bikes

Você controla duas crianças, Nessa e Demelza, explorando a ilha e investigando a respeito da verdade sobre seu histórico. Com sistema de batalha similar à action-RPG’s como Secret of Mana ou Legend of Zelda, o jogo é cooperativo para 2 jogadores e tem uma atmosfera bem “Goonies”, onde você explora a ilha, enfrenta inimigos, coleta aliados e desenvolve novas habilidades para progredir no jogo.

A arte lembra bastante o estilo adotado em Tearaway e Little Big Planet, ambos da Media Molecule, e não é menos que o esperado, já que os criadores, Rex Crowle e Yun Moo, trabalharam nessas franquias diretamente.

Ficha técnica:

    • Desenvolvedor: Foam Sword Games (Publisher: Double Fine)
    • Data de lançamento de Knights and Bikes: Abril 2017
    • Knights and Bikes vai sair para PS4, PC, Linux e Mac
    • Site oficial

3.Crossing Souls

Ok, para esse jogo eu vou pedir que você tire alguns minutos (precisamente 2:51) e realmente assista o trailer de Crossing Souls.

Neon, sintetizadores, bicicletas, um grupo de amigos desvendando um mistério enquanto lutam contra organizações governamentais que querem abafar o caso e/ou querem tomar para si as descobertas das crianças. Sold? Não? Ok, veja mais informações sobre Crossing Souls.

Sobre o que é o Crossing Souls:

Crossing Soulsé um jogo do estúdio espanhol Fourattic Games (e com tanto rosa e roxo, claro que o jogo está sendo publicado pela Devolver Digital), composto por três pessoas, que se apoia muito forte na estética oitentista para pegar aqueles apaixonados pela sensação aventuresca passada pela mídia daquela época e as recentes homenagens, seguindo a linha de ET, Goonies e recentemente Stranger Things.

Você controla um grupo de amigos que encontrou um poderoso artefato que lhes dá acesso a criaturas de outra dimensão. Agora, eles são os encarregados de impedir uma guerra entre mundos, enquanto ficam na mira de uma conspiração do governo americano.

Como é o gameplay de Crossing Souls

As mecânicas envolvem combates no estilo action-RPG e resolução de puzzles, enquanto você navega no mundo do jogo. Você pode alternar entre os 5 personagens jogáveis que possuem habilidades distintas tanto para derrotar inimigos, quanto para resolver os quebra-cabeças.

fuga de bicicletas crossing souls

Existem combates contra chefes, cenários com gameplays específicos, seja on rails fugindo da polícia em sua bicicleta em uma ação side-scrolling, ou precisando driblar os policiais na porta da sua casa usando itens e habilidades únicas de um personagem. Vem coisa boa por aí.

Ficha técnica:

  • Desenvolvido por Fourattic Games (publisher Devolver Digital)
  • Crossing Souls vai sair em algum momento de 2017 (espero!)
  • Disponível para PC, Mac e Linux, por ora. Mas com planos de chegar até o PS4 e PSVITA
  • Site oficial

4.Chasm

Eu estava empolgado com Chasm lançando em 2015 (pois é), mas não me importo com atrasos, desde que o produto final compense. Acompanho e admiro o trabalho do artista brasileiro Glauber Kotaki (Rogue Legacy, Duelyst e outros) e foi por ele que conheci e me encantei com esse jogo em 2014, em uma entrevista para o Hynx, então membro do Gamesfoda.

Sobre o que é Chasm

Um jovem soldado precisa investigar por que uma vila ficou muda, de uma hora para outra. Quando chega, fica preso dentro dela por meio de magia, e precisa investigar as minas da cidade em busca de uma resolução.

Como é o gameplay de Chasm

Em Chasm você tem um hub, que é a vila, e uma dungeon com diversas “camadas” que são geradas proceduralmente. Cada “camada” tem um chefe, itens, equipamentos e magias a serem descobertos.

Além disso, existem elementos de Metroid e Castlevania, com as possibilidades de exploração sendo ampliadas com uso de novos itens e habilidades para acessar locais antes inalcançáveis.

inimigo nas minas de Chasm

Com um combate bem orientado à ação e uma boa dose de plataforma, esse parece ser daqueles jogos que você perde horas e horas sempre pensando “só até o próximo check-point”. A arte é, como todo trabalho do Glauber, impecável e o sistema dungeon crawler já se provou viciante em outros jogos como Diablo.

Ficha técnica:

  • Desenvolvido e publicado pela Discord Games
  • A data de lançamento de Chasm é também em algum momento de 2017 =(
  • Chasm vai sair para PC, PS4 e Linux.
  • Site oficial

5.Cuphead

Prometido para 2017 (antes 2015, depois 2016), o jogo desenvolvido pela MDHR tem uma personalidade fortíssima com um estilo de desenho animado dos anos 50, mas com aquela sensação de que foi feito para adultos.

A primeira vez que eu vi esse jogo foi em um trailer da E3 de 2014 (tá aflitivo esse negócio!) e desde então me apaixonei! Um dos jogos com visual mais atraente que já vi na vida, shooter 2D a lá Gunstar Heroes do Mega (sim, eu fui team SEGA na infância hehe) é algo que preciso na minha vida.

Sobre o que é Cuphead

A motivação do jogo é simples e direta como todo bom run & gun deveria ser: O protagonista perdeu uma aposta com o diabo e precisa pagá-lo. Com forte ênfase em batalhas contra chefes, o jogo possui um overworld no estilo de RPG’s clássicos, que você pode navegar e descobrir áreas secretas e itens novos.

Como é o gameplay de Cuphead

Como falei acima, a mecânica central do jogo não é nenhuma novidade. Um run & gun básico, 2D com multiplayer local até 2 jogadores. Você tem estágios com inimigos comuns e plataformas, e outros com chefes.

Multiplayer de cuphead contra chefes

Você navega no overworld onde pode comprar novas armas e habilidades, que são mantidas quando você morre (algo incomum ao gênero). Além disso, Cuphead (ou Mughead, seu companheiro) pode bloquear vários projéteis inimigos para construir sua barra de especial e desferir um ataque mais poderoso. Na medida em que você progride, novos supers e habilidades, como um dash, são desbloqueados.

Eu recomendo que você assista um vídeo de gameplay do jogo, e se não ficar com vontade de casar com ele, então você não tem alma (brincadeira…na verdade não é brincadeira).

Ficha técnica:

  • Desenvolvido e publicado por Studio MDHR
  • Cuphead vai lançar em algum momento de 2017 (mais um)
  • Cuphead vai sair para Xbox One, PC e PS4
  • Site oficial

6.Death’s Gambit

Sim, mais um “souls-like” 2D, na era medieval com combate impiedoso e chefes desafiadores. O jogo foi anunciado há mais ou menos 1 ano e está sendo desenvolvido pelo estúdio White Rabbit e publicado pela Adult Swim.

Sobre o que é Death’s Gambit

Esse RPG de ação te coloca na pele de um cavaleiro ressucitado em um planeta alienígena medieval (pois é) repleto de bestas, cavaleiros e monstros enormes. Você tem que rasgar seu caminho até encontrar a fonte da praga que assola o local.

Com visual dark fantasy e com a licença poética por se passar em outro planeta, Death’s Gambit tem aquele tom perturbador interessante característico de jogos da mesma temática. Tem um design de personagens e monstros grotesco na medida certa, e áreas que variam entre castelos, masmorras e regiões montanhosas. É um jogo que tinha uma chance enorme de ter um visual genérico (dragões e espadas), mas consegue uma personalidade forte.

batalha com chefe em Death's Gambit

Como quase todo RPG de ação medieval moderno, existem claras influências do clássico moderno Dark Souls, da japonesa From Software. Seja no desafio, combate e sistema de level up ou na maneira com que a história é contada pela exploração. Salt and Sanctuary já provou que essa fórmula pode ser traduzida para o 2D sem problemas.

Como é o gameplay de Death’s Gambit

Pelas demos e vídeos de gameplay até agora, podemos perceber que existem três mecânicas principais: Plataforma, combate e exploração. Você junta equipamentos para evoluir seu personagem, e também avançar pelo cenário em outras áreas, já que o jogo possui uma progressão não-linear, permitindo e incentivando backtracking e atenção a diversos caminhos. Já existem alguns vídeos de gameplay que detalham esses pontos de maneira mais clara.

Assim como todo bom jogo que pega emprestado mecânicas de Dark Souls, existe um desafio (teoricamente justo) que exige com que o jogador não apenas consiga bons equipamentos ou itens, mas domine as mecânicas de ataque e defesa para avançar. Além de, é claro, uma história contada por meio de objetos no ambiente, dialógos de NPC e descrição de armas e itens (enviromental storytelling).

Ficha Técnica:

  • Desenvolvido por White Rabbit e publicado por Adult Swim
  • Death’s Gambit não possui data de lançamento ainda. Mas está previsto para 2017.
  • As plataformas de lançamento confirmadas são PC, PS4 e Xbox One.
  • Site oficial

Conclusão

Muitos dos jogos citados acima não tem data de lançamento confirmada e isso é preocupante. Vários deles como Chasm ou Cuphead já foram adiados uma ou duas vezes e sabemos que isso pode ocorrer novamente. Porém, o que nos resta se não a esperança e torcer para que saiam, de fato, em algum momento de 2017?

Uma dica que dou é entrar nos sites oficiais e usar o twitter para acompanhar os desenvolvedores no perfil pessoal e do estúdio também, assim você sabe em primeira mão notícias do lançamento ou adiamento do jogo. E lembrem-se, se o jogo é muito bom, ninguém lembra que atrasou! Compartilhe esse post no facebook ou twitter, se você conhece alguém que se interessa por jogos independentes 😉

Jogo mais video-games do que deveria e menos do que gostaria.